quinta-feira, 10 de abril de 2008

A DE FORA É MINHA!


Quando eu era pequeno, nos meus tempos de futsal, costumava jogar com os outros moleques do meu condomínio e do clube um jogo chamado "um toque". A brincadeira consistia numa dupla de jogadores de linha que confrontavam um goleiro. Se a linha fizesse 3 gols naquele goleiro, ele "mofava" e recebia um bolo - mas não daqueles de chocolate. Tô falando de uma bela porrada na mão.

Pois bem, mas o jogo recebia este nome, "um toque", porque só era permitido a cada jogador um único toque na bola, ou seja, assim que recebesse um passe, você deveria dar um toque de primeira para o seu amigo, iniciando uma tabelinha, ou, então, mandar pra dentro da meta e tentar marcar gols para "mofar" o goleiro. Se o goleiro defendesse ou a bola fosse para a linha de fundo, o arqueiro viria para a linha no lugar do perna-de-pau que perdeu o gol.

Porque eu estou falando nisso? Porque foi exatamente assim que eu me senti vendo o jogo do Mengão contra o Cienciano, do Peru. Pra começar, o clima hostil enfrentado pelos atletas e comissão técnica parece ter realmente sido um ponto de coesão no grupo. Joel também fez sua parte e, muito acertadamente, contrariando tudo o que se especulava, meteu Kleberson ao invés de Jaílton na meiúca. Ainda assim, no começo do jogo o Flamengo veio bem morninho, se defendendo bastante e partindo só na boa.

Nitidamente, o cenário mostrava que a estratégia era que os jogadores se poupassem no primeiro tempo, arriscando muito pouco, para compensar depois. Léo Moura, por exemplo, quase não avançava na lateral, enquanto Juan subia bem mais (mas nada que assustasse o time peruano). Pudemos ver também que o Íbson realmente tem muito mais liberdade e qualidade quando o esquema traz dois volantes na contenção na entrada da área, como ocorreu no ano passado. O príncipe rubro-negro foi o destaque da nossa equipe e da partida, com inúmeros desarmes, arrancadas sensacionais e excelentes assistências, como a que fez para o segundo gol, marcado pelo Toró (pode acreditar!).

Falando em segundo tempo, Natalino manteve o mesmo time inicial, contudo, confirmou as expectativas da torcida e mandou a galera cair em cima. Aliás, lá no Peru, quem caiu em cima não foi o Mengão. Na verdade a gente partiu pra cima e "quem caiu no Peru" foi o Cienciano, que permitiu muitos contra-ataques pelas pontas, especialmente com os avanços de Léo Moura e Renato Augusto pela direita e Souza lá pela esquerda. Deste modo, não demorou muito para encontrarmos o camisa 9 soltinho pelo flanco esquerdo do campo. Ele carregou a bola e tocou forte e rasteiro, encontrando Renato Augusto, que esperou o goleiro deitar, pra tocar a criança pro fundo e abrir o placar pro Mengaço.

Depois disso os malucos do time peruano ficaram ainda mais bolado, pois perderam seu capitão, expulso por excesso de faltas. Ai foi que o "Cuzco" deles ficou apertadinho e o rubro-negro deslanchou. Toró, que jogou boa partida, (quase não) fez o segundo e Juan, para coroar uma bela atuação, fez de falta e sacramentou a porretada de 3X0 e a classificação do Mengão para a segunda fase da Libertadores.

Mas eu não gostaria de achar que a missão está cumprida, não. Sincera e honestamente, eu gostaria de meter um vareio pra cima do "Molho de tomate com carne moída" aqui no Maraca, pra ser o primeiro do grupo e um dos melhores times da Libertadores, pra poder pegar uma equipe mais fraca na segunda fase (atualmente pegaríamos o Santos).

Se bem que esta história de "mais fraca", pode fazer com que a gente pegue o Boca Jrs, por exemplo, fato que carrega em si aspectos bons e ruins. Ruins, porque jogar contra time argentino é sempre jogar contra time argentino. E bons, porque essa pressão de um clássico com tamanha rivalidade, pode ser muito saudável para unir o grupo e dar força para uma arrancada rumo ao título. Especialmente, quando se trata de um time de tradição e de chegada como é o Mais Querido do Brasil.

Parabéns, Mengão! E não esqueçam de dar um bolo na mão do Flores, goleiro do Cienciano.

EDITADA PELO AUTOR EM 10/04/2008, ÀS 10:47

8 comentários:

Tamu Junto disse...

Fala Gil.

Concordo, o Ibson arrebentou nesse jogo. E outro destaque foi "A Muralha", defendeu deveras.

Mas queria dar uma enfase para a equipe de basquete e a torcida do Mengasso. Que lotou o Tijuca, nos dois jogos da semi, pela Liga Sulamericana. Que lindo. No ginásio nossa torcida parecia ainda mais vibrante. Foda. Como estou desempregado, fui nos dois jogos.

A equipe do boca sentiu o que é uma verdadeira torcida. Lindo. Espero que essa festa se repita no domingo. Meu ingresso esta garantido.

Abs.

Gabriel Plaisant

Cesar Bravin disse...

Caro Gil, concordo com vc em muitos aspectos, mas discordo de alguns, principalmente sobre o Léo Moura (que a meu ver foi bem discreto no ataque, embora não tenha comprometido na defesa) e na atuação do Juan, pois essa sem dúvida, foi uma atuação de gala do nosso lateral. Sinceramente, quando vi que ele iria bater a falta no final do jogo, ainda comentei com meu pai: "vai meter um golaço para coroar a atuação perfeita". Dito e feito! Golaço e alegria da Nação. Se treinar pelo menos umas 30 faltas por dia, tenho certeza que veremos ainda muitos gols. No mais é isso... Mengão rumo ao Bi da Libertadores. Abraços e SRN!

Jean Freire disse...

Fala Fabio.
Mengão foi Mengão ontem. Juan e Ibson arrebentaram. Bruno, como sempre, uma muralha.
Essa vitória dá moral pro jogo de domingo. Espero q o time incorpore o espírito de final, aquele imbatível, e vença o Botafogo.
SRN!

Kardec disse...

OOOOOOOHHHHHH !!!!

VAI PARA CIMA DELES MENGO !!! rs

Atuação impecável ontem no segundo tempo; time jogando por música e Ibson como maestro.

Foi uma das melhores atuações (senão a melhor) do mengão esse ano...

O time me deixou mais confiante para a disputa na segunda. Mas vamos manter o pé chão, como diz o nosso amigo Gil.

"Uma vez flamengo, flamengo até morrer..."


Abraços.

Kardec

p.s: buaáátafogo ? quem ? rs

Pedro Derbli disse...

Um jogaço. Tudo bem que o Cienciano tava batendo cabeça, mas o Fla foi muita seleção ontem. E o golaço no último segundo coroou bem a vitória.

Rumo a Tókio.

Pedro
www.onomade.com

FÁBIO GIL disse...

Realmente o Bruno foi uma muralha e o Juan jogou muito bem. Fiz algumas correções no texto.

Abralhos,

Fábio Gil

Alexandre Gatuso disse...

LEO MOURA NÃO JOGO BEM MESMO MAS O MELHOR DO JOGO FOI O PRINCIPE DA GÁVEA!!!! IBSON NÃO PODE SAIR DO FLAMENGO AGENTE TEM QUE SEGURRAR ELE NO TIME!!!! RUMO A TOKYO!!!!!1

Jean Freire disse...

é Yokohama, galera! Yokohama!!!
Tokyo já foi faz tempo...