domingo, 3 de agosto de 2008

CALMA, CAIO JUNIOR!

É foda. Infelizmente, é nesses momentos de crise que a gente vê quem tem e quem não tem controle emocional. E o Caio Junior mostrou no jogo de ontem, contra o Cruzeiro, no Maracanã, que está tão abalado quanto seus jogadores diante da má fase pela qual o Flamengo está passando agora. Não estou pedindo a cabeça do cara por isso. Acho que o trabalho dele vinha sendo bem-feito. Mas agora é a derradeira hora de ver quem é homem e quem é rato. E atualmente, nosso 'treineiro' está mais pra Mickey do que pra Walt Disney.

Pra começar, escalou um time incrivelmente defensivo, característica que contraria toda a postura que ele vem implantando desde sua chegada, após a eliminação na Libertadores. Tá certo que o cara perdeu muitos e importantes jogadores, que contribuiam para o potencial ofensivo do time. Mas colocar um 3-6-1, tendo treinado apenas 4 dias esta formação, é arriscar demais pra um time que não pode se dar a este luxo. O resultado tá aí: 2X1 pro Cruzeiro, de virada, e a gente afundando da quarta para a sexta posição.

Com 6 rodadas sem vencer, estamos quase igualando o que ocorreu com o Botafogo no ano passado, que após liderar a competição, ficou 7 rodadas sem vencer, despencou e chegou a ficar na 15a. posição.

Voltando ao assunto Caio Jr, quero deixar claro que a desculpa de falta de jogadores usada pelo treinador para escalar um "Cinturão de cabeças-de-área", como descreveram alguns sites de esportes, não é válida. Até porque o treinador deixou no banco o Tardelli e o recém-contratado Vandinho, promessa de gols e atleta pelo qual a diretoria se empenhou em conseguir a liberação, para escalar o jovem Erick Flores no ataque.

A alegação sobre o Tardelli foi a má fase. Beleza, eu aceito. Já pra Vandinho, o 'professor' disse que o atleta era jovem e poderia sentir a responsabilidade da estréia. Mas e o Erick Flores? Ele também não é moleque? Ele também não está sentindo o peso da fase? E pra piorar: ele é atacante? Perá lá, né, Caio! Você bobeou, irmão. E bobeou feio!

Resumindo: por conta desta opção do 'oclinhos' na formação da equipe, passamos os primeiros 45 minutos vendo pisadas de bola, impedimentos, chutes tortos e lançamentos que iam parar lá na geral. Enfim, foi um período inteiro onde o Flamengo mostrou-se desorganizado e foi pressionado pelo Cruzeiro, que sabe muito bem partir no contra-ataque.

No segundo tempo, Caio Jr caiu em si. Notou que a opção tática não foi acertada e resolveu mexer no ataque. Fez logo duas substituições: saíram Obina e o sacrificado Erick Flores. Entraram Tardelli e Vandinho, os caras que ele deveria ter colocado desde o primeiro minuto.

De cara, Vandinho foi mostrando que será uma boa contratação e a nossa maior esperança. Fuçador, descolou algumas boas jogadas e criou oportunidades. Em sua segunda jogada, aos 12 minutos do segundo tempo, abriu o placar com uma porradaça de cabeça, no cantinho do goleiro Fábio.

O gol fez o Flamengo recuar. A pior coisa que poderia ter acontecido.

Precisando do resultado para se manter lá em cima, o Cruzeiro partiu pra dentro e tomou conta do meio-campo. 10 minutos depois, conseguiram chegar ao empate com um gol que me irritou demais. Sabe porque? Porque veio de um erro igualzinho ao que a gente cometeu contra o Botafogo, nas finais do Carioca, quando o Jorge Henrique subiu no primeiro pau, tocou pra trás e encontrou o Wellington Paulista SOZINHO no segundo poste, da mesma forma que o Guilherme estava ontem: 1x1.

Nervosa, a equipe recuou e começou a enxergar o 1X1 como bom negócio. Mas o Gerson Magrão não achava e começou uma jogada na defesa cruzeirense, que terminou nos pés do meia Rômulo. O maluco recebeu livre na área do Fla e tocou na saída de Bruno pra fazer 2X1, aos 24 minutos.

A partir daí tentávamos empatar na base do desespero. Mas a fase do nosso ataque como um todo está mesmo braba. Não só na bola, que não entrava, quanto na sorte.

O Tardelli, que jogava relativamente bem, num lance bobo, igualzinho ao do zagueiro Rodrigo, quebrou o antebraço em duas partes e vai ser mais um a desfalcar o ataque rubro-negro por um cacetão de tempo. A cena mudou o estágio da equipe de nervoso para desesperado. Acabamos nos enfurnando ainda mais lá atrás, enquanto Vandinho e, acreditem, Fábio Luciano ficavam no ataque tentando, inutilmente, armar alguma coisa.

Em vantagem emocional e numérica, o Cruzeiro ganhou moral e quase marcou mais. Graças a Deus nós temos o Bruno.

O Cruzeiro até atuou bem. Mas não foi nada demais. O segredo do time mineiro, dirigido pelo bom Adilson, foi o controle emocional. Os caras tomaram o primeiro gol e tiveram a tranquilidade e a frieza de esperar os já tradicionais erros de marcação do Flamengo nas jogadas de bola parada, pra empatar e virar o placar. Pra piorar, ainda sofremos um grande abalo com a azarada contusão do Diego Tardelli.

Mas é nessas horas, em meio ao desespero, a escuridão, que surgem as maiores reações. E todo mundo precisa acreditar nisso. Porque se a gente não acreditar, quem vai acreditar por nós? A gente precisa ser o Flamengo de novo e fazer todo mundo sentir a nossa força.

Caio Junior, não se desespere. Você é o único que não pode embarcar nesse sentimento de "já era".

Vamo que vamo, Mengão!

Gil

2 comentários:

Helder Rodrigues Bino disse...

Não já era, mas o time de defensores é muito ruim.....concordo que o Vandinho deveria entrar de cara...porque contrataram o cara?...êsse Erick Flores tem mais é que continuar nos juniores....Tardelli definitivamente não dá...isso é apenas coisa do Kléber Leite, assim como as figuras do Jônatas e do Sousa....dois já se ferraram...agora só falta macumbeiro-Jônatas...além de defensores, os caras do meio-de-campo não sabem passar a bola e o Ibson acha que tem que conduzir a bola até perder para o adversário...temo por uma vergonha aquí no Serra Dourada, mas estarei lá, pois o amor é MAIOR QUE TUDO...Já falei sobre Gremio e Internacional e mais São Paulo e Wanderley Luxemburgo...eles vão chegar...não acredito no Cruzeiro...CAIO JUNIOR é bom profisssional, mas trabalhar sendo cornetado pelo Kléber Leite é um PORRE...O NEGÃO OBINA é centroavante, mas não chuta...nunca tenta o gol...o Cristian é o único do meio-de-campo(?) que sabe chutar, mas parece que há uma ordem superior pro cara não chutar...se vier o Felipe, aí que a coisa vai piorar...Leonardo Moura e Juan embolam sempre e não estão jogando o que o time espera deles..além disso, os adversários estão marcando a manjada e única jogada perigosa prá se chegar ao gol dos caras...abraço a todos...PUTO-DA-VIDA, mas vamos ao Serra Dourada junto com "A MAIOR FORMA DE AMOR DO PLANETA'...NOSSA MARAVILHOSA TORCIDA MERECE COISA MELHOR....Helder....Goiânia.

Anônimo disse...

Cara, confesso que não fui ao jogo, e muito menos assisti o jogo. Mas escutei alguns momentos na Radio. Parei de escutar depois do segundo gol dos caras.

Não vi os melhores momentos, não vi mesa redonda, não li jornal e muito menos internet. E também não li o post acima. Enfim, estou desanimado com o Flamengo, decepcionado pra ser mais exato.

Mas espero que o time não caia nesse sentimento também. Se não fudeu tudo.

SRN

Gabriel Plaisant