quinta-feira, 5 de março de 2009

TIME DE SUJEITO HOMEM


Diferente da partida contra o Resende, pela semifinal da Taça Guanabara, o Flamengo levou a sério a partida de ontem, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, e passou por cima do Ivinhema, atual campeão do estado. O time azul e branco do Brasil Central era absurdamente frágil e não foi capaz de resistir a maior velocidade e qualidade técnica do time rubro-negro, que se impôs em campo.

Não que tenhamos jogado uma partida impecável, daquelas memoráveis. O negócio é que demonstramos em campo todo o empenho e a dedicação que não vínhamos tendo o Carioca.

Com os 5X0, o Mengão elimina o jogo de volta e só se preocupa com a Copa do Brasil novamente no final da próxima rodada, quando todos os classificados estiverem definidos. Agora, o foco é a reestréia no estadual, contra o Cabofriense, sábado agora.

Com o time modificado para o esquema 4-4-2, com Léo Moura no meio, o Flamengo ganhou muita velocidade, força na criação das jogadas, mas perdeu igualmente na capacidade de marcação. Como sou defensor do futebol ofensivo, da bola pra frente, tenho mais elogios do que críticas para o nosso técnico Cuca, que saiu ovacionado pela galera que lotou o Morenão. Mas vale lembrar que nem sempre estaremos enfrentando o Ivinhema, sendo portanto, fundamental, usar as próximas partidas pelo Carioca e pela Copa do Brasil, para dar um jeito nessa deficiência, antes que comecemos a enfrentar os grandes clássicos regionais e nacionais.

O jogo não teve muito mistério. Começou com o Fla massacrando e terminou do mesmo jeito. O percentual de posse de bola chegou a ficar próximo aos 70% pro nosso time.

No começo, até que os maluquinhos conseguiram segurar os nossos avanços. Mas aos 20 e poucos, Léo Moura abriu o placar, aproveitando um cruzamento de Josiel, após um lançamento incrível do Íbson (36 metros).

Aos 37, em boa jogada de Everton Silva que cruzou da direita, Zé Roberto fez seu primeiro gol da noite. A bola bateu na canela do zagueiro, resvalou em Josiel e sobrou pro cara completar no alto. Zezinho também marcou o terceiro, nos acréscimos, entrando fácil, fácil na área e completando rasteirinho, por baixo dos braços do goleiro do Ivinhema.

No segundo tempo, apavorado com a pressão e a facilidade que o Fla encontrava, o técnico dos caras acabou metendo mais um zagueiro, ao invés de partir pra fazer um golzinho. Ainda assim, a gente entrou com bastante força e fizemos mais dois gols. O primeiro, com Kleberson, em excelente jogada de Fábio Luciano, que se aventurava no ataque e fez uma tabelinha com o pentacampeão. Kleberson bateu forte, rasteiro, de canhota: 4x0.

O quinto surgiu de uma jogada pela ponta direita de ataque. Fierro pegou a bola, avançou com velocidade, olhou aonde estava o Maxi e rolou bem forte a bola. O argentino encarnou seu primo e bateu de primeira pro gol. Uma pintura. Lá na gaveta. Que golaço!

Antes de encerrar o post, quero abrir um espaço especial para elogiar duas pessoas: primeiramente, Everton Silva, o nosso novo lateral-direito. Que moleque bom de bola! Se enrolou algumas vezes na defesa, mas jogou uma excelente partida ofensivamente. Caiu pra dentro dos zagueiros, fez ótimos cruzamentos e se entendeu tão bem com o Léo Moura, que é capaz da Perlla ter ficado com ciúmes. Ponto pra ele.

Outro que atuou com muita qualidade - e que eu não costumo elogiar muito - foi o Kleberson. O pentacampeão tem momentos de gênio e outros, de imbecil. Mas ontem ele foi muito importante para o placar dilatado que a gente alcançou. Além do gol que fez, ainda aumentou a movimentação do setor esquerdo de ataque, fazendo com que os torcedores não sentissem falta do Juan, jogador que vinha sendo o grande trunfo do nosso elenco na formação 3-5-2. Se continuasse jogando e se movimentando assim, Kleberson seria titular absoluto na Gávea.

Na próxima rodada da Copa do Brasil, o Flamengo vai pegar o vencedor do confronto entre Remo e Barra, do Piauí. Já no Carioca, o jogo é sábado agora, contra o Cabofriense. Acho que vai ser um boa chance de conferir se o 4-4-2 já foi assimilado ou não pela equipe.

VAMO QUE VAMO, MENGÃO!

Gil

2 comentários:

Caio de Almeida disse...

Gil, o jogo foi bom, mas eu não me engano: precisamos evoluir muito para chegarmos bem no Brasileirão.

Prefiro esperar.

SRN

Neruso Sam disse...

olhai Gil
Gostei muito do Kleberson.
Me lembrou dele quando entrou em campo no jogo contra a inglaterra na copa de 2002 e virou titular.
concordo com vc, se continuar assim é titular absoluto.
SRN
Nelsinho