quinta-feira, 29 de abril de 2010

CLUBE DE REGATAS SUPERAÇÃO



Não foi um jogaço. Também não foi a condição ideal pra uma partida de futebol, especialmente no primeiro tempo, em que o gramado parecia um pântano. Mas o Flamengo mostrou que pode jogar sério e vencer qualquer time deste país, como fez ontem, como um homem a menos, contra o Corinthians. É claro que a ajuda extra-campo que a Nação deu foi inestimável, dado o futebol deprimente exibido no Carioca e na primeira fase da Libertadores, mas isso não tira os méritos dos jogadores e da nova comissão técnica, comandada por Rogério Lourenço.

Mas, antes de começar qualquer análise, queria contar o quanto foi maneiro encontrar a galera no 2º Nação Twitter, evento que reuniu blogueiros e a galera de sites lá no Chico's Bar. Muita gente maneira e boa conversa, apesar da chuva "féladapulta" que caiu por lá. Teve direito a galera do Magia Rubro-Negra, o Arthurzão do Urublog, o Raphael Crespo, redator da Revista Flamengo, além das amigas de Twitter @Jussaraajax e @Cissa_Morena e mais uma galera que a minha esclerose e a falta de um pouco mais de papo não me deixa lembrar agora. Espero que tenhamos outros #TwitterNação pra eu poder conhecer mais gente (e ter tempo de gravar o nome de todos... rs).

Continuando com o jogo, achei que o Rogério, felizmente, acertou o sistema defensivo do Fla. É óbvio que as atuações muito acima da média de David, Angelim e Rômulo contribuíram pra isso, contudo, fica mais do que claro que a gente tem condições de atuar num nível bem maior do que se via no Carioqueta.

No meio-campo, o meu destaque fica pro Williams, que marcou como um leão e ainda conseguiu arrumar boas jogadas ofensivas (quando não prendeu demais a bola, como no começo do primeiro tempo). Numa delas, o camisa 8 cruzou de canhota, deixando Adriano cara-a-cara com o goleiro do CUrinthians. O Imperador cabeceou certo, pro chão, mas o camisa 1 paulista defendeu bonito.

Nas laterais, Juan foi muito acionado e participou melhor da partida. Mas ainda peca bastante quando chega ao fundo e precisa cruzar. No primeiro tempo, numa trama com Michael, conseguiu entrar dentro da grande área, mas em vez de chutar rasteiro e aumentar as chances da bola entrar batendo num zagueiro, cruzou a meia altura, facilitando pra zaga alvinegra espanar.

No ataque, Adriano conseguiu pressionar bastante e apavorar a marcação corinthiana. Já Love continua na má fase e não aproveitou as poucas (e boas) chances que teve para marcar. Numa dela recebeu lançamento, matou no peito, invadiu, mas demorou demaaais pra chutar e foi travado pela zaga mulambenta.

Mas, independente da atuação desse ou daquele jogador, o que me deixou mais feliz foi ver a equipe se falando em campo quando do momento da expulsão (infantil pra cacete) do Michael. O meia, apesar da movimentação intensa, atuava mal e errava quase todos os passes. Fez uma primeira falta necessária, pra matar um contra-ataque puxado por Moacyr, mas aí fez uma falta totalmente boba e inútil em seguida, levando o segundo amarelo. No momento em que o juiz chamou Michael e puxou o vermelho, percebi que Love, Adriano, Léo Moura e Maldonado se reuniram no meio e eles mesmos rearrumaram a equipe em campo. O garoto Rômulo, que estava fazendo o terceiro zagueiro, passou a ficar na mesma linha de Maldonado, se adiantando um pouco. Love saiu do ataque e passou a compôr o meio-campo, permitindo que Willians pudesse apoiar um pouco mais. E assim o Flamengo se acertou e continuou jogando melhor que o Corithians, mesmo com um a menos. Foi o Clube de Regatas Superação em campo.

A nota triste (ou seria otária) foi Adriano. O cara voltou a marcar um gol e atuar bem (não foi espetacular), depois de muito tempo, depois da torcida ficar chateada com o time e os incidentes, mas, ainda assim, fez a ceninha de não comemorar seu gol. Uma bobeira típica de quem, apesar de dizer que aceita as críticas, não sabe conviver com elas e age como uma pessoa mimada. Que bom que fala-se na Gávea que os tempos de molezinha e regalias acabaram. Porque o Imperador tá precisando que parem de passar a mão na cabeça pra ele por a mão na cabeça e pensar no que anda fazendo.

VAMO QUE VAMO, MENGÃO! RUMO AS QUARTAS!

Gil

3 comentários:

vanessa lopes disse...

Muito bom post pra variar, e concorddo contigo não foi um Jogaço, e foi, Achei que o Adriano fosse ficar neutr, sumido como o Ronaldo, mas ficar naquela de zero a zero, mas o Imperador me surpreendeu e eu comemorei o Gol mais que ele eu acho com direito a balançar camiseta na sacada de casa e quase levar um rojão na cara dos vizinhos corinthianos Rsrsrsrs pra mim foi O jogo, no ritmo de vai pra cima deles Mengo, de leve ou com tudo, mas vai!
Quartas estamos aí!

Karoll Chaves disse...

Gostei da análise Gil, se o Adriano acertasse aquela cabeçada ñ ia ter p/ ninguém pq os fregueses NUNKA fariam três gols na gente.

E espero poder te conhecer nos futuros eventos do nação twitter!

Também achei lamentável a atitude do Adriano, mas como eu já tinha dito no blog nacaocrf, q fike boladinho + faça gols. A nação vai agradecer muito. Hj a tarde no GE, na hora do almoço, o lance repetiu e o Jr. comentou que ele ia sair p/ comemorar + foi abraçado pelos companheiros e fikou na dele. Jr. ainda acrescentou p/ Glenda q ñ tem como alguém estar insatisfeito e descontente num clube com uma torcida como a nossa!

Tá na hora de atualizar a última partida ^^

Quarta tem mais.

Abraços,

SRN.

http://nacaocrf.blogspot.com

SRN

Bonel disse...

perdeu-se o direito de nao comemorar. o cara ta chatedo e ponto. o adriano é pago pra jogar bem. e ele jogou bem. o resto é o resto. Faço das palavras do eric faria no twitter as minhas,