quinta-feira, 6 de maio de 2010

GUERRA SANTA


A partida de ontem entre Flamengo e Corinthians, no Pacaembu abarrotado, não era um mero jogo entre dois dos principais times do futebol brasileiro. Era muito mais. Muito mais. Flamengo e Corinthians, para seus torcedores, é um duelo entre duas paixões, duas religiões. Uma verdadeira Guerra Santa.

Mas trata-se de uma Jihad diferente. É uma guerra onde, a despeito das provocações, deboches e da rivalidade, os adversários se respeitam e se admiram por sua força, influência e grandiosidade. Como disse Priamo a Achilles, na épica e emocionante cena do filme Tróia: "Ainda seremos inimigos esta noite. Mas até mesmo entre inimigos pode haver respeito".

E o Corinthians caiu de pé. Aliás, eles quase venceram a batalha, acuando o Flamengo no primeiro tempo inteiro e criando um caminhão de oportunidades. Toda esta pressão, aliás, foi motivada pelos fiéis torcedores (aliás, aquela torcida não podia ter outro nome mesmo) que podiam ficar roucos, afônicos até, mas continuariam gritando, apitando, batucando e pulando para apoiar seu time. Ou melhor, sua religião.


Por alguns minutos, confesso, cheguei a relembrar de toda a dor que tivemos nas derrotas para América do México e para o Inter (na Copa do Brasil). Até falta no finalzinho do jogo, praticamente na mesma posição que o Andrezinho marcou ano passado teve. Mas, como era de se esperar de uma guerra santa, também houve o seu milagre, realizado por Bruno.


Mas ai chegou a segunda etapa e lá estavam 2.000 fiéis rubro-negros. Em número muito inferior aos alvinegros, sim, mas quem no mundo duvidaria do amor e da força e da fé dessas pessoas que abdicaram até mesmo de suas vidas e responsabilidades pessoais e profissionais para seguir numa verdadeira Cruzada rumo a outro estado para acompanhar o Flamengo? Só mesmo ignorantes. E eles aparecerão aos montes agora, afirmando que o Flamengo deu sorte, que não passará da próxima batalha, que é um mal exemplo pro futebol (pela falta de planejamento), que é isso e aquilo. 


Mas o que realmente importante é seguir propagando nossa fé aos quatro cantos deste continente, empunhando nossas bandeiras que estampam heróis do passado e do presente, honrando nosso brasão, invadindo outros campos de batalhas para desafiar novos inimigos, e tudo isso, vestidos com nosso manto sagrado. Essa é a história do nosso time. Essa é a história dessa religião chamada Flamengo.

E que os deuses do futebol continuem ao nosso lado. Amém.

VAMO QUE VAMO, MENGÃO!

Gil

5 comentários:

Caio de Almeida disse...

Muito foda esse post.

SRN

Raphael disse...

Emocionante mesmo, ver esse jogo aqui em São Paulo foi uma experência única.
Foi um jogo de muita qualidade.

Cris Marassi disse...

Fico impressionada como, na gde maioria das vzs, vc consegue colocar no papel boa parte (se nao todos!) os meus sentimentos em relaçao ao Flamengo! Bola de cristal? Conexao com o mundo rubro-negro? Vai explicar! O número de visitas a esse blog e de seguidores no twitter devem mesmo falar por si só...
Parabéns, mais uma vez!
...
Em tempo: apesar de rir e replicar piadas sbr o resultado de ontem, ao olhar, hj cedo, cenas da torcida corinthiana sofrendo e chorando, nao consegui rir DELES. Entendi a dor que estavam sentindo e senti profundo alívio por nao ser eu a viver aquelas cenas. Entendeu pq falei de conexao com as mentes?
Bjao e SRN

Negão disse...

Ufaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!
Quero La U! Ainda está entalada na minha garganta!!!!!!!

helder rodrigues bino disse...

Só queria entender "apenas" porque nossos "treineiros" escalam esse gênio Vinicius Pacheco, no time titular do Flamengo ? êsse maluco é horroroso, não joga nada,não cria nada pro time e sua escalação no Pacaembú, quase tira o Flamengo da competição...o cara parece que tem os testículos amarrados nas pernas...após a saída do gênio, o time foi dono do 2º tempo inteiro e levou apenas um susto no final da partida...pôrra, porque escalar essa porcaria no time do Flamengo?...já foi emprestado prá 789 times e nunca mostrou nada prá ninguém...porque no Flamengo ? Prá cima dos chilenos...tinha minhas dúvidas e nenhuma crença no Flamengo na Libertadores, mas a classificação em cima dos gambás, mudou o clima, e pode dar samba....Helder...Goiânia.