terça-feira, 14 de agosto de 2007

ME DESCULPEM

Gostaria de pedir a vocês, leitores, desculpas por não ter escrito aqui. Tive compromissos e alguns problemas e acabei não comentando a vitória do Flamengo, por 2x1, contra o Náutico, no sábado passado. Mas hoje eu estou aqui para fazê-lo. De qualquer forma, não espere de mim nenhum comentário super entusiasta só porque o Flamengo venceu. Afinal, não sou cego nem passional o suficiente para achar que jogamos tão bem assim.

É claro que já podemos ver uma luz no fim do túnel. Mas uma luzinha bem pequenininha, como de um led.

A zaga ganhou um bom reforço, como eu já tinha dito aqui. O Fábio Luciano (esse é nome de craque) pode não ser nenhum Juan ou Gamarra, mas trouxe um pouco mais de estabilidade e experiência para a zaga que, antes dele, tinha o maldito Irineu como "destaque". Agora, acredito eu, até o Angelim vai se acalmar um pouco e deve melhorar seu futebol, que já era o único que se salvava no setor antes da chegada do novo reforço. Porque o Angelim não é ruim, mas precisava de alguém que transmitisse confiança para que ele pudesse se sentir calmo para desenvolver um futebol melhor.

Aliás, gostaria de destacar aqui o bonito gol de cabeça feito pelo novo xerife do Flamengo. Mesmo sem ritmo de jogo e sem o tempo da bola, Fábio mandou bem ao se antecipar e enfiar a criança lá no fundo do barbante antes que o EXCELENTE goleiro do Náutico interceptasse o cruzamento de Juan.

Outra coisa que também apresentou melhoras foi o meio-de-campo. O Ibson está voltando a sua forma e já podemos notar sua exímia capacidade de organização e de condução de bola. O Roger também melhorou, deu o passe perfeito pro gol da vitória, mas precisa ser menos mascarado, reclamão e cai-cai. Isso me enoja. Ainda mais quando o time ainda não está vencendo. Quer cair? Simular uma contratura no ovo direito? Um ataque epiléptico agudo? Uma cãimbra no esôfago? Então faça isso quando estivermos com 3 gols na frente, pô! Porque o Fla tava perdendo o jogo e o maluco se tacando no chão e rolando por vários metros, fazendo fita.

O ataque foi o pior setor da equipe, especialmente no primeiro tempo e no começo do segundo, antes da entrada do Max. O Renato Augusto, por exemplo, não vem jogando bem desde que foi para o mundial sub-20. Tá certo que o moleque está sendo escalado fora de posição, se sacrificando pela equipe, e isso já o prejudica demais. Mas tenho a impressão de que ele tinha esperanças de se transferir para o exterior após o torneio no Canadá, coisa que não chegou nem perto de acontecer até a semana passada. Agora já rolam especulações de que um time espanhol estaria atrás de seu futebol. O que me deixa mais temeroso é que esta diretoria VENDIDA já está perto do final de seu mandato e não me surpreenderia em nada o jovem craque ser negociado até o fim do ano, para que eles participem da partilha da grana da venda.

Leonardo também não jogou bem. Ele foi o mesmo atacante de sempre: perigoso em alguns momentos e irritante em outros. Ele desaparece, cava faltas inexistentes (que raramente colam) e desaparece do jogo várias vezes. Se ainda fosse como o Romário ou o Obina, que somem, mas reaparecem pra marcar um gol, tudo bem. Mas o cara não é bem assim.

Bem mesmo foi o Max Biancucchi. É o tipo de jogador que pode se dar bem com a maior nação desse planeta, a rubro-negra. Tem a raça dos argentinos e que deveria se espalhar por todo o time! Não tem bola perdida! Não tem lance ruim! E isso, eu sei bem, a nossa torcida adora! O baixinho é o típico azougue, uma versão mais barata do Ortega, ou do Messi. Irritante nas pontas! E vai ajudar no 1-2 ali com o Léo Moura pela direita, já que, pela esquerda, tem o Roger caindo pra apoiar o Juan.

Só falta um pouco mais de ousadia tática e organização. Jogar menos recolhido quando estivermos ganhando, porque isso chama o adversário pra cima. Mas espero que isso seja uma atitude condicional, por conta da situação do time no campeonato. Quando saírmos dessa zona maldita, torço pra que o cachaceiro do Joel consiga organizar melhor o time para avançar. Quanto a organização, estou falando dos avanços dos laterias. Antes, o Flamengo tinha um meio-de-campo horrendo e obrigava os laterais, que são bons ofensivamente, a avançar juntos. Isso deixava a zaga desguarnecida demais e o imbecil do Ney Franco colocava só o Paulinho pra cobrir ali. Não preciso dizer que não adiantava. Agora o meio do Fla é um pouco melhor. Tá todo mundo fora de forma, mas é melhor. Então os laterais podem se alternar no avanço, junto com o Max e o Roger no apoio.

Foda é acreditar que o Joel vai querer contrariar a história de sua carreira e pôr o time pra avançar e arriscar alguma coisa. Porque arriscar não é muito a do treinador. A não ser quando o assunto é misturar bebida. Ai, tenho certeza que o técnico deve ser muito ousado.

OBS: alguém viu o Joel quase entrando em campo no jogo contra o Náutico? O que seria aquilo pra você? A) Ele tá jogando pra torcida, mostrando que está se preocupando com o time mais do que deveria B) Ele estava querendo apenas corrigir os erros da equipe em campo após o gol da virada ou C) Ele tava cheio de cachaça nas idéias e não tava conseguindo saber onde acabava a área técnica? Responda na sessão de comentários.

FORA KLEBER LEITE!!! FORA MÁRCIO BRAGA!!! ZICO PRESIDENTE!!!

2 comentários:

Negão disse...

Era desesperao de causa, ao saber que até o empate com aquele timeco horroroso do Náutico seria considerado uma derrota total! Fui ao estádio e valeu à pena. Na 5ª feira tô lá de novo, pra mais uma vitória do Mengão!!!!

Lio Roriz disse...

Com relação ao futebol do Renato Augusto, vc tem razão em dizer que não é o mesmo, infelizmente, o Bruno também não é mais o mesmo, creio que por não ter conseguido se transferir para o futebol europeu.