segunda-feira, 7 de abril de 2008

RETRATO DE UMA EQUIPE QUEBRADA

Ontem, o time reserva do reserva do Mengão mostrou para quem quisesse ver que o Bacalhau é, disparado, o time mais fraco do futebol carioca. Ainda que o Eurico tenha dito por aí que a equipe(?) dele não deixa nada a desejar aos outros.

Já ganhamos do Vasco de tudo quanto é jeito nesses últimos anos, em tudo quanto é campeonato. Mas ontem seria uma vitória com um sabor diferente. Porque o Vasco, vice no seu grupo, teria perdido para o nosso time reserva. Ou seja, eles seriam o vice do nosso time vice.

Não fosse pela fraqueza e pela falta de humildade dos jogadores e da comissão técnica, teríamos uma semifinal bem mais fácil, contra o mesmo time que não ganha da gente nunca. E é exatamente essa falta de humildade que me incomoda.

Tenho destacado aqui, desde antes das minhas férias, que o Flamengo tem uma equipe, mas não tem um time. Por diversas vezes, ouvi dos meus amigos e conhecidos que vivem o dia-a-dia da Gávea, que o grupo tem suas divisões e que o Joel apazigua de vez em quando, mas atrapalha em outros momentos.

A crise que uniu o Flamengo no ano passado acabou, e com ela, o elo que fazia destes jogadores um grupo forte, coeso, produtivo e objetivo. Poderíamos ter ficado na segunda posição do campeonato brasileiro do ano passado, mas, depois de conseguir a classificação heróica, assumo, para a Libertadores, paramos de jogar como um time. Parece-me termos desistido.

E, quando achei que os reservas demonstrariam mais vontade, gana, raça, para ganhar um lugar no time, vi que não aconteceu bem isso. Maxi, Tardelli e Marcinho foram destaques no primeiro tempo. Mas só o argentino continuou dando o mesmo gás após os 2X0. Os demais, se deram por satisfeitos e pararam. Resultado: o bacalhau empatou, mesmo jogando muito mal.

Por esses motivos, espero que alguma coisa aconteça ao Flamengo. Um susto, que seja. Porque do jeito que está, o time só vai acordar quando estiver fora das disputas importantes. Precisamos de uma "crise" para funcionar como antes. Estes jogadores, não todos, justiça seja feita, precisam de cobrança, de críticas, de vergonha, para recobrarem o orgulho e jogarem como o Flamengo deve jogar: como uma família de 34 milhões de pessoas.

Valeu,

Gil

2 comentários:

Jean Freire disse...

Fala Fábio...
não acho q tenha sido tão ruim ontem. o time estava bem, inclusive perdeu algumas chances de vencer por goleada. uma pena. e depois q o airton saiu, a defesa se perdeu um pouco.
mas realmente, uma coisa q acontece com o Fla faz tempo é esse lance de jogar mesmo na hora H.
se há ou não problemas internos, não sei. mas tenho certas idéias sobre o comando do time q não me agradam.
abs!

Alexandre Gatuso disse...

POXA EU NÃO GOSTEI DO JOGO TAMBEM E ACHO QUE O TIME NÃO É TIME. O FLAMENGO NÃO SEI SE TEM PANELA MAS AGENTE DEVERIA COBRAR MAIS DOS DIRIGENTES!!!!!!! TEMOS QUE JOGAR COMO FLAMENGO!!!!