sexta-feira, 8 de outubro de 2010

LUXA LÁ, BRILHA UMA ESTRELA!



Não dá pra dizer que o Flamengo voltou a ser Flamengo, que jogou pra cacete ou doutrinou o Patético Goianiense. Estaria exagerando muito se dissesse isso. O jogo foi ruim, travadão, com futebol fedorento. Mas que já deu pra ver algumas qualidades nesse Flamengo do Luxemburgo, isso deu.

A primeira virtude do treinador foi, sem dúvida, sua estrela. Além de colocar um time aparentemente mais motivado em campo, Vanderlei mexeu no time 3 vezes e conseguiu que os 3 malandros que entraram em campo decidissem o jogo a favor do Mengão. Sinal de uma PUTA estrela do "profexô"!

No primeiro gol, Marquinhos (que entrou no lugar de Kleberson) derivou pela intermediária direita, viu Val Baiano (que entrou no lugar do péssimo Deivid) desmarcado e cruzou com perfeição pro atacante desencantar (acreditem!!!) e abrir o marcador.

No segundo gol, o moleque Diego Maurício (que entrou na vaga de Diogo, contundido), rubro-negro de verdade e sujeito-homem, recebeu a bola de Juan na entrada da área, livrou-se "na marra" de três marcadores goianos e bateu no cantinho, fechando a conta pro Fla lá no Raulino, pra delírio do bom público presente.

Mas tudo isso não aconteceria sem a segunda virtude, percebida logo nos primeiros minutos de partida: a melhor organização da equipe em campo. Cada jogador tinha a sua função e sua posição muito bem definidas. E quando deixavam-na de lado por algum motivo insuficientemente bom para Luxa, ouviam um "suave" esporro do treinador. Em certo momento do jogo, Luxa pediu a Correa que retornasse pra direita e parasse de cair pela esquerda. O jogador virou-se pro técnico e pediu calma. Vanderlei, então, docemente respondeu: "Calma é o caralho! Volta pra direita agora!".

No entanto, o Flamengo ainda não é um time contundente. A exceção de Diego Maurício, moleque abusado e objetivo, passamos o jogo todo rodando ao redor da área e esperando entrar na área para concluir. O único que arriscou um chute de fora, já no segundo tempo, foi Petkovic, que por sinal, jogou os 90 minutos por opção de Luxa. De agora por diante, apesar da conversinha fiada que Silas e Rogério usavam pra se defender dos fracassos, Vanderlei disse que irá treinar mais e mais para fazer com que o time ganhe a sua cara e jogue cada vez melhor nas próximas rodadas. Uma vitória, fora de casa, contra o Avaí, na próxima rodada, pode nos afastar ainda mais do perigo de rebaixamento, apesar da marcar de 45 pontos ainda ser o objetivo inicial.

Ainda não dá pra considerar que estamos nas nuvens. Mas já foi reconfortante ver novamente uma estrela brilhando no Fla. Ainda que seja do treinador.

VAMO QUE VAMO, MENGÃO!

Gil

4 comentários:

Tozza disse...

Como sempre uma análise perfeita. Assino embaixo. Parabens meu amigo, sou seu fã de carteirinha.

Grande abraço e no aguardo do viado do Biruleibe.

Andre Tozzini (@TozzaFla)
Flablog

Marcelo Guimarães disse...

Só consegui ver o segundo tempo e gostei do que vi. Achei o time está organizado e jogando como time grande novamente. o Drogbinha não pode ser reserva, o moleque vem jogando muita bola. Boa sorte Luxa! Boa sorte Mengão! Que venham dias melhores.

Dja Santana disse...

Perfeito !

Acho que a maior vitória foi a devolução do espírito de luta ao grupo...a injeção de ânimo traçando metas foi o melhor esquema que o Luxa poderia montar e desenvolver, foi de tamanha importância que o nosso primeiro gol foi marcado com lances de 2 jogadores desacreditados que são Marquinhos e o Val Baiano ( Gol made in bahia ).

Só em ver a entrega do grupo apesar do jogo não ser dos melhores já valeu e creio sim em um grande sucesso do Luxa na gávea ( se deixarem ele trabalhar logicamente)

SRN a todos !!!

@DjavanURUBUZAO

Caio de Almeida disse...

Gil, o Flamengo é outro time. Não foi genial, mas se afastou muito do medíocre dos outros jogos. Acho que saimos desse Z4 numa boa.

SRN