segunda-feira, 14 de março de 2011

ARAME LISO



No vocabulário popular, "arame liso" é aquele sujeito galanteador, que vive "cercando" as mais belas mulheres, mas no final das contas não consegue "espetar" ninguém. Pois bem, essa é a analogia perfeita pra esse time do Flamengo no esquema 4-6-0 que o Luxa tem armado.

Ontem o "profexô" até tentou uma "novidade", tirando Bottinelli, um meia clássico, e montando um falso 4-3-3, com um (pseudo)ataque formado por Thiago Neves (meio), Ronaldinho (esquerda) e Negueba (direita). Ao longo do primeiro tempo, até conseguimos congestionar o meio-campo e, assim, anular boa parte dos avanços tricoletes. O problema é que, na hora de partir no contra-ataque, os únicos jogadores com capacidade criativa que teríamos no meio, Ronaldinho e Tiago Neves, saiam correndo que nem loucos pra frente e deixavam a armação das jogadas a cargo de Renato Abreu, Williams, Maldonado e/ou Egídio. E aí já viu, né?

Outro vacilo foi prestigiar os avanços pela esquerda, com Egídio. Tá certo que o objetivo do Luxa era segurar o Mariano lá atrás, na marcação, mas era nítido pra qualquer Jair Pereira da vida que o lado mais frágil do time sem estrutura e sem treinador era o lado esquerdo.

Aquele Carlinhos é um bonde e tanto Léo Moura quanto Negueba, nas poucas vezes em que chegaram na linha de fundo, acabavam tendo que se virar sozinhos, porque o outro estava orientado a recuar pra cobrir. Isso fez do nosso lado direito um setor inoperante. E na minha humilíssima opinião, era ali a mina de ouro, o lugar em que os tricoletes escondiam sua tornozeleira de brilhantes.

Ronaldinho também teve uma noite caida. Tentou fazer vários truques, mas a objetividade foi pra casa do cacete. Acho que ele estava mais focado em dar uma humilhada nos tricoflores do que em jogar bola. Não vi as boas viradas de jogo, os arremates de longe e as puxadas de contra-ataque dos outros jogos e isso me desagradou.

Mas, por enquanto, tá tudo bem. Continuamos invictos na competição e com amplas chances de vencer também o segundo turno e conquistar o Carioqueta. É só o Luxemburgo não inventar muito e o nosso elenco compreender que Taça Guanabara é apenas um troféu, não é título. Caso contrário, podemos acabar "cercando, cercando, mas não espetando" título nenhum.
VAMO QUE VAMO, MENGÃO!

Gil

ATENÇÃO: HOJE, às 22 HORAS, tem #Livecast com Marcio Fallah (sócio da BN Sports), Bruno Romero (da Embaixada do Flamengo em Governador Valadares) e Bruno Veronezze, para falar sobre a contratação de um lateral-esquerdo, a vinda de Adriano e o patrocinador master.

Um comentário:

diego disse...

aceita parceria?
se aceitar adciona meu link no blog e me avisa lá pra eu fazer o mesmo
http://mengaohexa.blogspot.com/